Batalha do Conhecimento: o Rap como Auxílio Educacional

A batalha do conhecimento, idealizado pelo MC Marechal, busca valorizar e expandir o conteúdo das rimas para outros temas como educação, política e cultura.

Como funciona as batalhas do conhecimento na prática?

Se você ta acostumado com as batalhas de ruas, você provavelmente conhece as famosas batalhas de sangue (objetivo de atacar o oponente, trocando farpas e ofensas), mas poucos sabem ou ouviram falar das batalhas do conhecimento, então vamos explicar como funciona.

A batalha do conhecimento é temática, normalmente o próprio evento divulga ou pede pra platéia escolher temas para os Mcs desenvolverem sua rimas sobre eles. 
Vence o Mc que desenvolver as melhores rimas para o tema proposto, normalmente avaliados pela plateia e jurados.

Veja o próprio MC Marechal resumindo em 12 segundos como funciona o confronto:


Campeões Batalha do Conhecimento

A BDC já teve diversas competições em diversar regiões Brasil a fora, neste post, vamos listar alguns nomes que sairam vencedores durante os circuitos comandado pelo criador da competição, Mc Marechal.



2007, o ano da inauguração tivemos bastantes competições e alguns nomes conhecidos da época sairam vencedores, como:

  • Mc Sheep
  • Mc Coé
  • Mv Hemp
  • Mc Maomé



Apesar de poucos registros, listamos algumas finais dignas de serem apreciadas abaixo, confira essas aulas de rap:

Marcello Gugu vs Maomé - 2010

Marcello Gugu Campeão




Lodk vs Estudante - 2014

Lodk Campeão




Estudante vs Vydal- 2015

Estudante Campeão





Sobre da Batalha do Conhecimento

Embora essa modalidade de batalhas não seja a principal e tenha pouca visibilidade nas rodas culturais, tivemos grandes nomes da nova geração participando e contribuindo para o Movimento, Em 2015, tivemos a final do Nacional mo Museu de artes do Rio, que contava com Mc Estudante, Mc Vydal, Mc Orochi, Mc Clara Lima, Mc Noventa e outros nomes, que fizeram uma competição inscrível.

Apesar de não comendado pelo Mc Marechal, muitas outras competições do conhecimento rolaram Brasil afora, inclusive no Rio Grande do Sul, com vitória do Nicolas Walter, que vamos comentar um pouco mais abaixo.

Apesar de ser um evento inspirador, a BDC (silga para batalha do conhecimento) deixou de acontecer, muito se especula que foi o custo financeiro para manter os eventos, porém não obtivemos resposta.
Fica a torcida do beRap para a volta dessa "pedagogia do Rap", #voltaBDC





Rap Como Ferramenta Educacional

A batalha do conhecimento tem papel fundamental nesse tópico, pois tem sua base na troca dos saberes, saberes esses que vem de experiências , livros e expressões dos próprios artistas.

Podemos complementar que são pontos de vistas diferentes pra abordagens de assuntos específicos, o que possibilita um modo de aprender e ensinar através do processo de troca de reflexões. Profundo né?

Se você conhece algum professor e acredita que a batalha do conhecimento pode ser um caminho para estimular a formação de conhecimento, recomende para ele este aritgo abaixo, brilhante da Adriana de Holanda Cavalcanti: A BATALHA É DO CONHECIMENTO, A ESTRATÉGIA É SENSÍVEL E A ARMA É A MÚSICA

Será que algum colégio já tentou implementar esse método na grade educacional?
Pois bem, ai que entra o Nicolas Walter que citei ali em cima. Ele participou junto com outros Mcs de uma batalha do conhecimento em uma escola no RS, isso não é fantástico? Dêem uma olhada:




Origem da Batalha do Conhecimento

Iniciada em 2007 no Centro Interativo de Circo (CIC), na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro – e a partir de 2010 também em São Paulo.
A BdC foi idealizada pelo MC Marechal em contraponto ao modelo tradicional das batalhas de MC’s.
Após 2 anos parada, voltou à cena no Museu de Arte do Rio (MAR), em 2014 e sua última edição oficial aconteceu em 2015.
O beRap tem alguns registros históricos da batalha do conhecimento, e vamos compartilhar alguns com você agora:

Chamada para BDC em 2007

Regras BDC

Primeiro Troféu BDC (depois do retorno 2014)



Considerações

Apesar do evento principal organizado no Museu de Artes do Rio não exisir mais (no momento em que escrevo esse post), muitas rodas culturais adotaram esse modelo de batalha e fomentam esse duelo, principalmente em edições especiais.

Nós esperamos que mais eventos como este roubem a cena e incentive nosso jovens a se envolverem mais com essa cultura do rap de expressão juntamente com conhecimento.

O beRap luta pra essas iniciativas continuarem existindo e conseguir patrocinadores que enxergem essa modalidade com um valor social e cultural, pra termos mais artistas sendo recompensados pelo seu trabalho.


Quer Treinar seu Freestyle?