Tudo sobre Batalha de Mcs

Bem vindo ao mundo das batalhas de Freestyle, você vai encontrar um resumo bem fácil de entender sobre as batalhas de rima mais famosas do Brasil, vai ficar por dentro de curiosidades, origem, crescimento.
E se você já conhece a história e as modalidades de batalhas, vale a leitura mesmo assim, e recomendo também, você conhecer todos os campeões da Liga Nacional de Mcs, a Maior liga de freestyle do Brasil.


O QUE É BATALHA DE MC'S?

As batalhas de Mcs, também conhecida como duelo de Freestyle, são encontros de hip hop onde dois mestres de cerimônia (MC's) batalham entre si com rimas improvisadas, podendo ser a capela (sem som) ou com um beat (batida) tocada por um DJ, o tempo varia de acordo com a organização da roda cultural.

MODALIDADES

As duas modalidades mais conhecidas na cena do rap são chamadas de batalha do conhecimento e batalha de sangue.
A batalha do conhecimento tem como principal objetivo desenvolver rimas sobre temas pré-estabelecidos pela organização ou pela platéia durante o evento.
A batalha de Sangue não existe tema, o conteúdo é livre e tem como foco atacar(verbalmente) e responder o ataque do adversário através do freestyle.

Batalha de Sangue:
tradicional x bate-volta

Dentro da modalidade Batalha de sangue, existe 2 tipos de duelo, batalha tradicional(como começou) e bate-volta(aparecendo mais nos últimos anos).

  • Na batalha tradicional um mc inicia a batalha atacando o oponente (30/40 segundos em média), depois o adversário tem a mesma quantidade de tempo para responder o ataque.
    No 2º round os papeis se invertem e assim termina o duelo. Caso haja empate entre os round, acontece o 3º para decidir quem foi o vitorioso e o último Mc que rimou começará atacando.
  • Na batalha bate-volta os Mcs se atacam no formato 4x4(4 versos 4 vezes). Cada Mc rima 4 versos de forma intercalada até que ambos tenham rimado 4 vezes. Essa modalidade exige um pensamento mais ágil, é muito utilizada no 3º round das batalhas tradicional para desempatar.

batalha de rima tradicionalbatalha de rima bate-volta


Origem das batalhas de rap

batalha de freestyle anos 80 no Bronx

As batalhas de Mcs surgiram enquanto o Hip hop dava seus primeiros passos em meados dos anos 70 no subúrbio de Nova York.
Os subúrbios de Nova York enfretavam diversos problemas sociais como pobreza, racismo violência, falta de infraestrutura e o jovens encontravam nas ruas refúgio para o lazer.

Nesses bairros do subúrbio existiam festas de rua com equipamentos de som ou carros chamado de "Sound System"(carros equipados com som potente).

Foi o DJ Kool Herc que levou para as ruas do Bronx os famosos Sound System e introduziu modo de cantar com rimas bem elaboradas como forma de expressão e discurso, com muita informação (algumas politizadas outras banais) com pouca melodia, esse contexto foi o pontapé inicial para o surgimento do RAP, que siginifica rhythm and poetry (ritmo e poesia). 

Nascia, então, diferentes movimentos como Block Parties, festas animadas por MCs que discursavam sobre a comunidade e vida coridiana, organizadas pelo DJ Hollywood e organizações de batalhas artísticas entre gangues.

Com a difusão da cultura pelo subúrbio de Nova York, principalmente pelas ruas de Bronx entusiastas levavam seus toca discos com microfone e amplificadores e começavam a rimar pelas ruas. Quem mandava melhor no microfone ganhava, a votação acontecia com as próprias pessoas que estavam assistindo.


A popularização das batalhas no Brasil

As batalhas de rima chegavam ao Brasil na década de 90 juntamente com o Hip hop, a cidade do Rio de Janeiro e São Paulo foram uma das percursoras na expansão da cultura de rinha de freestyle, porém foi no Rio de Janeiro, em 2003, que o evento tornou-se mais organizado, com o surgimento da batalha do real criado por Aori Sauthon, que por sua vez influêncou grandes nomes como Criolo a criar a Rinha de Mcs em SP.

Um dos Mcs oriundos das batalhas de mcs a conseguir reconhecimento aqui no Brasil foi Emicida. O rapper Paulista é considerado um dos responsáveis a dar visibilidade, antes restritas a grupos pequenos, para as batalhas de freestyle. "A cultura freestyle nunca tinha sido o centro no circuito do rap. O Emicida que levou luz a isso e fez a molecada se empolgar com as batalhas", diz Paulo Malik. 

Atualmente, não apenas o Emicida, mas outros Grandes nomes do Rap musical, começaram suas carreiras no freestyle, o que mostra a relevância que as rodas de rima possuem hoje na cena do Rap.
Apesar de alguns torneios com premiações não é possível viver de freestyle no Brasil, por isso muitos artistas utilizam o freestyle como porta de entrada para ter visibilidade e lançarem seus trabalhos. Acreditamos que isso vem a mudar nos próximos anos, e deixo o próximo tópico pra falar brevemente.



Futuro das Batalhas de Rap

O freestyle Rap avançou muito nos últimos anos, principalmente por causa da era digital. O Youtube é a principal plataforma que alavancou a visibilidade das rodas culturais, e as redes sociais por tornar popular acessível a quem nunca ouviu falar sobre essa arte.

Muitas novidades vêm acontecendo, marcas grandes como Red Bull e Nike, se envolveram de 2016 pra cá, em projetos de rap, organizando torneios de batalha de rima.
Será que grandes patrocinadores vêm pra ficar? Dando oportunidade de artistas viverem somente de freestyle?
E quanto a aplicativos de batalha de rima (em breve - beRap), poderão capacitar e realizar torneios online criando uma nova modalidade e fonte de renda?

Bem, essas perguntas só o tempo irá responder, mas adianto que o futuro promete, e o que você acha a respeito? conte pra gente!


Quer Treinar seu Freestyle?